PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO
Rua Pedro Caboclo Alvarenga- Conjunto Arsênio Alves- Boa Ventura- Paraiba- Brasil

"Criança Evangelizada Hoje, Homem de Bem Amanhã"

PROGRAMA PENSE NISSO

PROGRAMA PENSE NISSO
PROGRAMA PENSE NISSO . De segunda á sexta, 17 horas . Na Rádio Boa Nova de Itaporanga- CLIQUE NA IMAGEM E OUÇA A RÁDIO

Nada de Aborto

Aborto Salubre ou insalubre Jamais.
Por Reynollds  em 24/07/2010 Enviar e-mail para %s





Aborto Salubre ou Insalubre Jamais
( Reynollds Augusto)

Nenhuma religião institucionalizada deve meter-se na política diretamente, pois esse comprometimento implicaria em desvirtuamento dos seus princípios cristãos, uma vez que infelizmente, ainda, a nossa política, em quase todos os seus setores, prima pelo jogo de interesses mesquinhos e o que é do povo, e o que deve ser dado ao povo, fica em segundo plano. O bem comum se perde em meio à politicagem sórdida.

Mas isso não quer dizer que o cidadão religioso seja um analfabeto político e não possa depurar e tirar os candidatos, seja ele quais forem que a qualquer pretexto tentem justificar a descriminalização do aborto. A vida é o bem mais importante de qualquer Estado e no Estado de Direito ela deve ser preservada, protegida, sustentada e monitorada para que o cidadão em gestação tenha condições de viver e cumprir o seu papel nesse novo estágio de evolução rumo ao aperfeiçoamento. Deus não erra. E se o espírito reencarnou é porque é bom para ele no seu processo de aprendizado.

Esse tema é tratado com maestria pelos imortais na questão 358 de O LIVRO DOS ESPÍRITOS, uma da obras básicas da Doutrina Espírita:

Pergunta – Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação?
Resposta – “Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando”.

Há uma jurisdição divina que nos submete a todos e o nosso comportamento equivocado irá gerar conseqüências negativas em nossas vidas. Se transgredir a lei de Deus é crime, esse crime deve gera punição e precisamos resgatar a atitude insana, sendo “punido” pela mal praticado.

Jesus, o espírito mais perfeito que já veio à Terra, certa feita disse “não sairás daí enquanto não pagares o último ceitil”. Isso é punibilidade e é justo que seja assim. O assassínio de uma criança, seja qual nome dermos a esse ato, implica em desequilíbrio à ordem natural e como não existe o inferno das religiões atrasadas e nem tampouco o céu nas beatitudes, a solução é o resgate dos incautos para que se reequilibrem e possam voltar à estrada da retidão em direção a Deus

O bom senso de Kardec era muito bem apurado e ele prossegue em seus questionamentos e descobrimos que há um procedimento abortivo moral e apenas um. Essa pergunta é a de 359:
Pergunta – Dado o caso que o nascimento da criança pusesse em perigo a vida da mãe dela, haverá crime em sacrificar-se a primeira para salvar a segunda?
Resposta – “Preferível é se sacrifique o ser que ainda não existe a sacrificar-se o que já existe. ’

O único caso que podemos sacrificar a vida do bebê é quando há que se optar entre a vida da mãe e do filho. Nesse caso é PREFERÍVEL sacrificar a criança em detrimento da mãe. Mas “Com o avanço da Medicina, torna-se cada vez mais escassa a indicação desse tipo de abortamento. Essa indicação de aborto, todavia, com as angústias que provoca, mostra-se como situação de prova e resgate para pais e filhos, que experimentam a dor educativa em situação limite, propiciando, desse modo, a reparação e o aprendizado necessário.
Nem abortar quando esse filho é fruto do estupro é justo. O Estado pode ate legalizar , mas é um lei imoral devido o a criança ser vítima e não o culpado. As pessoas pensam que o feto é um bolo de carne que não representa nada. “Justo é se perguntar se foi a criança que cometeu o crime. Por que imputar-lhe responsabilidade por um delito no qual ela não tomou parte? Portanto, mesmo quando uma gestação decorre de uma violência, como o estupro, a posição espírita é absolutamente contrária à proposta do aborto, ainda que haja respaldo na legislação humana”.

“No caso de estupro, quando a mulher não se sinta com estrutura psicológica para criar o filho, cabe à sociedade e aos órgãos governamentais facilitar e estimular a adoção da criança nascida, ao invés de promover a sua morte legal. O direito à vida está, naturalmente, acima do ilusório conforto psicológico da mulher.”

As feministas de plantão invocam o direito da mulher sobre o próprio corpo e justificam que o filho é “propriedade sua”, mas há de que se logicar que o embrião é um ser distinto da mãe e protegido pelas leis brasileiras sendo um cidadão em potencial, não tendo ela nem o Estado o direito de dispor sobre a sua vida. Sem falar que o Estado, como um todo, será “punido” por essa jurisdição divina, pois nada foge “aos olhos de Deus.
Matar jamais.

Candidatos, mais juízo.
Cristãos, fiquemos atentos!

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA.

Nenhum comentário: